Apresentação

 

Julio le Parc_continuel mobile inbox_01

Desejo as boas-vindas à Bienal Internacional de Curitiba 2015, que ilumina a cidade, trazendo a temática “Luz do Mundo” para ruas, museus, galerias e espaços que envolvem diversos públicos com a arte. Convido a todos para uma Bienal que está tanto no parque quanto no Museu, que é representada na Mostra na mesma medida em que faz parte dos Circuitos. Muita gente trabalhou para que esta Bienal se realizasse.

Aproveito este momento para agradecer a todos. Agradeço ao artista homenageado, Julio Le Parc e aos artistas dos 5 continentes, aqui registrados, pelas obras que fascinam, encantam, chocam, fazem sorrir e interagem com espaços inesperados da cidade.

Agradeço ao curador geral, aos curadores convidados, além dos contemplados com o Prêmio Jovens Curadores. Às curadoras do projeto educativo, parceiras no desafio de ampliar o potencial educativo da Bienal, coordenando iniciativas para o desenvolvimento humano e cultural de alunos, professores e visitantes.

Um agradecimento especial a todos os parceiros e patrocinadores aqui listados e à equipe da Bienal Internacional de Curitiba, sem os quais nada disso seria possível. Meu agradecimento aos gestores e aos colaboradores dos espaços expositivos, componentes fundamentais na realização da Bienal. Por 2015 ser o Ano da Cultura Italiana na América Latina, a Bienal ressalta ainda mais a integração entre culturas e homenageia o país, valorizando a herança e o legado deixado por eles através da participação de um grande número de artistas italianos nesta edição.

Destaco a parceria estratégica do Ministério da Cultura por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, a cooperação com a Secretaria de Estado da Cultura e com a Fundação Cultural de Curitiba.

Agradeço, por fim, ao público da Bienal, que aqui está para o resultado final, para buscar compreender, para buscar algo que está além. E à contribuição fundamental da imprensa, não só pelo registro, mas pela ampla divulgação das atividades da Bienal.

Espero que seja uma experiência de encantamento, questionamento e, sobretudo, de aprendizado. Que a Bienal traga uma visão nova dos espaços e da realidade que já conhecemos tão bem. Que seja instigante e inspiradora.

Bem-vindos à Bienal de Curitiba.

 

Luciana Casagrande Pereira

Presidente do Instituto Paranaense de Arte