Assassinato no comitê central

Dir. Vicente Aranda

(Título original: Asesinato en el Comité Central)

1981, Ficção, Espanha, 110’

Quando o secretário geral do Partido Comunista da Espanha (PCE) é assassinado em Madri, o detetive Carvalho é contratado pelo próprio partido para a investigação. Por outro lado, o governo contrata outro investigador, Fonseca, um anticomunista. Carvalho chega a Barcelona para inteirar-se do caso, quando conhece Carmela, uma militante que foi designada pelo partido como sua chofer e ajudante. Carvalho e Fonseca se reúnem para trocar ideias sobre o caso, mas não conseguem ter um bom relacionamento. Durante o regime Franquista, Fonseca perseguiu militantes de esquerda como Carvalho.

Direção e roteiro: Vicente Aranda | Direção de fotografia: José Luis Alcaine | Direção de arte: Carlos Durán | Música: Manuel Camps | Montagem: Teresa Font | Empresas produtoras: Morgana, Lolafilms e Acuarius | Elenco: Patxi Andión, Victoria Abril, Héctor Alterio, Conrado San Martín, José Vivó, Miguel Rellán, José Cerro e José Carlos Plaza.

Vicente Aranda

Vicente Aranda é um diretor essencial para entender o cinema espanhol na transição democrática e em sua consolidação. Sem dúvida, Aranda conseguiu levar a cabo um cinema com um estilo próprio, levando em conta suas próprias historias. “Fata Morgana”, de 1966, é o seu primeiro filme solo e é apontado como o precursor da Escola de Barcelona, um importante movimento do cinema espanhol. Realizou cerca de trinta filmes, tendo ao longo da carreira várias fases autorais. O diretor se dedicou ao cinema negro filmando obras como “Fanny Pelopaja” (1984) e “Assassinato no comitê central” (1982). Atuou ainda fazendo adaptações literárias de textos de Juan Marsé, Luis Martín Santos, Andreu Martín, Antonio Gala, entre outros. No entanto, é no cinema de guerra que Aranda alcança seu ápice. São exemplos “Libertárias” (1996) e “Amantes” (1991), o seu maior sucesso. O filme conseguiu o prêmio Goya na categoria de Melhor Filme e de Melhor Diretor, além do Urso de Prata para Victoria Abril no Festival de Berlim. O cineasta morreu em 2015 aos 88 anos.

Mostra Circuito Espanhol

SESC Paço da Liberdade
Quinta, 16/11 - 15h

Gratuito