Pele de asno

Dir. Jacques Demy

(Título original: Donkey Skin)

Livre, 1970, Ficção, França, 91’

Num reino distante, a rainha em seu leito de morte fez o rei prometer que só voltaria a se casar com uma mulher que fosse mais linda do que ela. Mas em todo o reino, apenas uma pessoa era dotada de tal beleza: sua própria filha. Desesperada, a princesa pede ajuda à sua fada madrinha, que a aconselha a pedir presentes de casamento cada vez mais impossíveis de se encontrar para retardar a união. A princesa consegue escapar ao seu triste destino escondida sob uma pele de asno e passa a viver numa modesta cabana na floresta como criada. Até que, um belo dia, um príncipe nota sua beleza. Baseado no conto de fadas de Charles Perrault.

Direção e roteiro: Jacques Demy  |  Produção: Mag Bodard  |  Música: Michel Legrand  |  Direção de fotografia: Ghislain Cloquet  |  Montagem: Anne-Marie Cotret |  Direção de arte: Jacques Dugied  |  Som: André Hervée  |  Empresa produtora: Marianne Productions e Parc Film  |  Elenco: atherine Deneuve, Jean Marais, Jacques Perrin, Micheline Presle, Delphine Seyrig, Fernand Ledoux, Henri Crémieux, Sacha Pitoëff e Pierre Repp.

Jacques Demy

Jacques Demy estreou no cinema de longa-metragem no início dos anos 1960 com “Lola, a Flor Proibida”. O filme traz inspirações claras da Nouvelle Vague e a atriz Anouk Aimée, que foi imortalizada por Frederico Fellini em “A Doce Vida”. Demy dirigiu outros quase vinte filmes em uma carreira de sucesso comercial e de crítica, construindo um sólido cinema formalista e encantador. Absolutamente primoroso. O cineasta, afeito ao modelo star system de se construir filmes e mitos, filmou com grandes nomes, tais como Jeanne Moreau e Catherine Deneuve. Esta última se tornou uma constante colaboradora em suas obras. Autor de musicais e histórias de amor, viveu com a também cineasta Agnès Varda até morrer em 1990. Ela, inclusive, lançou em 1991 o longa “Jacquot de Nantes” sobre a vida de Demy, filme que o FICBIC exibiu na edição de 2016. O cineasta nasceu na pequena cidade de Pontchâteau, na França. Ainda na adolescência teve início a sua paixão pela cinefilia. Participou do movimento cineclubista, na cidade de Nantes, e depois ingressou na Escola de Belas Artes. Em 1949, já na capital francesa, entrou para a Escola Técnica de Fotografia e Cinematografia. Nesta homenagem, o Festival exibe cinco importantes longas de Demy, quatro deles em película 35mm.

Mostra Diretor Homenageado

Cine Guarani
Quarta, 15/11 - 19h
Quinta, 16/11 - 17h30

Gratuito