Livio Abramo

Natural de Araraquara (SP), foi gravador, ilustrador, desenhista. Estudou desenho com Enrico Vio no Colégio Dante Alighieri. No início dos anos de 1920, fez ilustrações para pequenos jornais e entrou em contato com a obra de Oswaldo Goeldi e de gravadores expressionistas alemães. Realizou suas primeiras gravuras em 1926. Em 1947, ilustrou o livro Pelo Sertão, do escritor Afonso Arinos de Mello Franco, publicado em 1949 pela Sociedade dos Cem Bibliófilos do Brasil. Com essa série de ilustrações, apresentadas no Salão Nacional de Belas Artes (SNBA), obteve o prêmio de viagem ao exterior. Segue para a Europa em 1951. Em Paris freqüentou o Atelier 17 aperfeiçoando-se em gravura em metal com Stanley William Hayter (1901-1988). 

De volta ao Brasil, em 1953, foi premiado como o melhor gravador nacional na 2ª Bienal Internacional de São Paulo. Deu aulas de xilogravura na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Foram seus alunos, entre outros, Maria Bonomi e Antonio Henrique Amaral. Fundou o Estúdio Gravura, em 1960, com Maria Bonomi. Em 1962, foi convidado pelo Itamaraty a integrar a Missão Cultural Brasil-Paraguai, posteriormente Centro de Estudos Brasileiros. Mudou-se para o Paraguai e dirigiu até 1992, o Setor de Artes Plásticas e Visuais. Foi fundador do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Paraguai.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *