Sobre a Bienal de Curitiba 2018 | 25 anos

Referência em arte contemporânea, sendo reconhecida pela imprensa especializada como um dos principais eventos de arte do circuito mundial, em 2018 a Bienal de Curitiba completa 25 anos. Em comemoração, do dia 18 de outubro a 31 de dezembro de 2018 acontecerá uma edição especial, com uma mostra principal, além da participação de outros centros culturais da cidade e espaços públicos que estarão envolvidos com programações paralelas, intervenções urbanas e exposições em galerias e museus.

 

Histórico da Bienal 

A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba nasceu em 1993. Em 1997, iniciou suas atividades itinerantes por diferentes estados do Brasil e países da América Latina, trabalho que mantém até a atualidade. Em 2007, 14 anos depois, realizou sua primeira edição temática, com obras relacionadas a “Narrativas Urbanas”, e diversificou sua programação, incluindo performances e interferências urbanas, mostras de filmes de arte, cursos e mesas redondas sobre arte contemporânea. Nos anos de 2009 e 2011 a Bienal de Curitiba criou programações e circuitos educativos, com o objetivo de democratizar o acesso à cultura e a arte contemporânea. 

Em 2013, quando completou 20 anos de atividades, foi consagrada como um dos mais importantes eventos de arte contemporânea do circuito mundial: artistas renomados do Brasil e do mundo participaram desta edição, proporcionando grande sucesso de público naquele ano. Em 2015, as exposições priorizaram a arte que vai para as ruas, transformando Curitiba em uma grande galeria a céu aberto, com intervenções urbanas e performances artísticas espalhadas por toda a cidade.

Desde 2007, a Bienal de Curitiba inclui atividades audiovisuais e literárias em sua programação e dessa iniciativa nasceu o Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba e a Curitiba Literária, que integram a programação da Bienal de Curitiba.

Além de realizar mostras de arte contemporânea, cinema e literatura, a Bienal de Curitiba também organiza circuitos e programações paralelas anuais, com o objetivo de expandir e solidificar seus vínculos locais. São eles: o Circuito de Museus, o Circuito de Galerias, o Circuito de Ateliês e o Circuito Universitário da Bienal de Curitiba – CUBIC. 

Na edição 2017, a Bienal de Curitiba teve o título “Antípodas – Diverso e Reverso” e contou com a participação destacada da China como país homenageado, apresentando 62 renomados artistas chineses e tornando-se a maior exposição de arte chinesa contemporânea já apresentada na América Latina. Além dos mais de 60 artistas da China, o público pode conferir obras e performances de artistas dos cinco continentes. A edição de 2017 contou com mais de 1 milhão de visitantes do Brasil e do mundo nos mais de cem espaços ocupados pela Bienal em Curitiba e em outras cidades do Paraná, Santa Catarina, Argentina e Paraguai. 

Realização: Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba, Museu Oscar Niemeyer, Secretaria de Estado da Cultura do Governo do Paraná, Ministério da Cultura do Governo Federal.