Adolescência e identidade através do cinema em Santo Antônio do Sudoeste

Santo Antônio do Sudoeste, cidade a 570 quilômetros da capital paranaense, foi uma das 39 cidades selecionadas para compor a itinerância do projeto Cine Móvel. Sabendo dessa falta de incentivo à cultura, a prefeitura municipal e o Colégio Estadual Humberto de Campos acolheram o projeto da Bienal de Curitiba como forma de promover momentos diferenciados a seus cidadãos e jovens alunos.

 

Cinema na Escola em Santo Antônio do Sudoeste | Cine Móvel Claiton Biaggi.

No dia 21/03 aconteceram duas etapas do Cine Móvel no Colégio Estadual Humberto de Campos: a Oficina de Cinema pelo Celular e o Cinema na Escola. A primeira propunha um estudo da teoria do audiovisual, suas linguagens e técnicas, para que, em seguida, os próprios alunos pudessem filmar pequenas histórias com celular. Já na hora do Cinema na Escola, foram convidados a assistir e refletir sobre um filme de longa-metragem.

Cinema na Escola em Santo Antônio do Sudoeste | Cine Móvel Claiton Biaggi.

Ambas as atividades colocam o cinema como expressão: na prática de escrever, organizar e contar uma narrativa através de imagens, as ideias fluem e precisam ser decididas em grupo. Afinal, o audiovisual é uma arte coletiva!

Já na reflexão e debate sobre filmes, o convite à expressão é mais individual. Tendo assistido o filme “O Que Queremos Para o Mundo?”, os jovens se identificam e se conectam com as angústias e dúvidas de Luz, a protagonista. Timidez, superação de desafios, amizade e identidade são os temas que compõem o filme exibido.

Cinema na Escola em Santo Antônio do Sudoeste | Cine Móvel Claiton Biaggi.

Os cerca de 30 alunos que participaram da Oficina tiveram como resultado dois curta-metragens, que foram posteriormente exibidos no Cinema na Praça (Praça Percy Schreiner, 30/03). “Relembrando Interclasses” e “Uma Turminha da Pesada” falam de bons momentos vividos dentro da escola, das amizades inseparáveis e dos desafios que as turmas venceram juntas.

 

Essa influência do ambiente escolar certamente os conectou ao longa-metragem, que também usa da escola como lugar de mudança. A adolescência é um ponto de virada importante para ambas as produções, e é uma temática comum ao gênero teen movies.